quarta-feira, 14 de março de 2012

Calendário das Olimpíadas de Língua Portuguesa!!Fique Atento!!!!

Comunicação





Downloads
Secretários de Educação
Reuniões
Fórum EPT
Parceiros
Webmail
Programas Especiais
Prêmios e Concursos





Siga-nos









Olimpíada de Língua Portuguesa: largada será dia 19

Um dos maiores projetos educacionais do país a trabalhar com ensino de leitura e escrita em escolas públicas, a Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro chega à sua terceira edição. O lançamento nacional será em São Paulo, dia 19 de março, com a presença da secretária de Educação de Mato Grosso do Sul e presidente do Consed, Maria Nilene Badeca da Costa.










Na ocasião, também haverá a primeira reunião técnica com representantes do MEC, Fundação Itaú Social, Cenpec, Undime e Consed. Ainda ocorrerão lançamentos regionais e outras seis reuniões como essa nas cidades de Goiânia (30/03), Curitiba (03/04), Belo Horizonte (10/04), Fortaleza (13/04), Salvador (18/04) e Belém (24/04).




A Olimpíada está dividida em sete polos. O primeiro reúne os Estados da região Norte do país: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Roraima, Rondônia e Tocantins; outro polo engloba os Estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e o Distrito Federal. A região Nordeste está dividida em dois polos: Ceará, Maranhão, Piauí e Rio Grande do Norte formam o primeiro; Alagoas, Bahia, Paraíba, Pernambuco e Sergipe, o segundo. O Sudeste também se divide em dois: um polo abriga só os estudantes e professores do Estado de São Paulo e o outro reúne Espírito Santo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. Por fim, o sétimo polo é formado pelos Estados do Sul, Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul.




Adesão, inscrições e seleção de textos serão feitas pela internet




Com metodologia de trabalho articulada aos conteúdos previstos nos programas oficiais, o projeto é mais que um concurso de textos, já que realiza ações de formação de professores para atividades com gêneros de escrita. Uma das principais novidades para este ano é que todo o processo de inscrição, envio e seleção de textos, em todas as etapas, será feito pela página da Comunidade Virtual Escrevendo o Futuro. Mesmo professores que participaram de edições anteriores e que já estejam cadastrados na CV deverão fazer sua inscrição. Ela começa no 19 de março e prossegue até 25 de maio. Mas para que o professor possa participar do concurso, mesmo que tenha se inscrito, é preciso antes que a secretaria estadual ou municipal de Educação – dependendo da rede à qual esteja vinculado - faça a adesão ao projeto. Isso também deverá ser feito no mesmo período de inscrição.




Qualquer professor de língua portuguesa que esteja lecionando em escola pública brasileira em 2012 – seja ela mantida pelo governo federal, estadual ou municipal - pode participar. Ao realizar a inscrição aqui na CV, o professor estará automaticamente cadastrado na Comunidade Virtual, tendo acesso às coleções didáticas da Olimpíada – livros de orientação, coletâneas de textos e CDs - desenvolvidas especialmente para o projeto. Ele também poderá participar de cursos de formação on line via internet, além de começar a receber a revista Na Ponta do Lápis, uma publicação periódica com artigos, entrevistas, textos literários, análise de produção de alunos e relatos de prática docente.




A Olimpíada trabalha com um gênero específico e apropriado para cada série: Poema com 5º e 6º anos (ou 4ª e 5ª séries) do Ensino Fundamental; Memórias com 7º e 8º anos (ou 6ª e 7ª séries) do Ensino Fundamental; Crônica com 9º- ano (8ª série) do Ensino Fundamental e 1º ano do Ensino Médio; Artigo de opinião com 2º e 3º anos do Ensino Médio. Em 2010, o projeto superou a marca de 7 milhões de alunos da educação básica e de 239 mil professores participantes em mais de 60 mil escolas públicas.




Confira o cronograma da Olimpíada 2012




19/3 - Lançamento nacional em São Paulo


19/3 a 20/4 - Lançamentos regionais: Belém, Goiânia, Curitiba, Belo Horizonte, Fortaleza e Salvador


19/3 a 25/5 - Inscrição do professor e adesão das secretarias de Educação


19/3 a 3/9 - Oficinas nas escolas


3/9 a 5/9 - Comissão Julgadora Escolar


Setembro - Comissão Julgadora Municipal


Setembro / Outubro - Comissão Julgadora Estadual


Novembro - Encontros regionais


Dezembro - Comissão Julgadora Nacional e Encontro Nacional

Luciane.

terça-feira, 6 de março de 2012

Modelo de Artigo de Opinião



Ilha de Tragédias cercada por um Mar de Evolução
Vivo em uma pacata cidadezinha no extremo sul de Mato Grosso do Sul com aproximadamente quinze mil habitantes. Os contornos do mapa do município parece uma folha de erva-mate, planta típica da região e que ainda hoje faz parte da abalada economia agrícola local e que até hoje dá o título a cidade de Capital da Erva-Mate.
Minha cidade passa por uma situação lamentável, pois nenhuma indústria de grande porte, está instalada em seus limites territoriais para que possa oferecer mais opções de emprego além do mais para agravar, a situação se caminha em sentido contrário, pois a maior indústria frigorífica fechou as portas há alguns meses deixando de gerar 800 empregos diretos e mais de 500 indiretos.
No meu ponto de vista, realmente Iguatemi corre grande risco de entrar em colapso em todos os aspectos, uma vez que os problemas que nela aparece realmente são exclusivos só à referida cidade, pois a mídia todos os dias divulga que o mundo já superou a crise econômica e tal fato se comprova pelas perspectivas de crescimento do Brasil, em torno de 7% para o ano de 2010. Soma-se a isso a migração dos iguatemienses para as cidades vizinhas e para outros estados em busca de emprego provocando assim, tanto o êxodo urbano como rural, pois o campo também para de fornecer a matéria-prima, que é o boi para o abate.
Há quem pense diferente, que melhores dias virão e que a prosperidade que atinge o país de norte a sul também chegará aqui. Há argumentações que o comércio irá absorver a massa de desempregados e até que pequenas indústrias iriam amenizar a situação de desespero da população.
Ainda resta ressaltar, que uma enorme quantidade de pessoas imprudentes estão arriscando a vida e a liberdade no tráfico de drogas e contrabando de cigarros, porque a localidade não oferece meios de ganhar dinheiro e sim a oportunidade ao crime uma vez que moramos em uma região de fronteira com o Paraguai. Quando essas pessoas caem presas, ceifa qualquer esperança de novos horizontes. E quando não são, terminam por abastecer a violência das grandes metrópoles financiada pelo tráfico.
Dessa forma, é importante que medidas urgentes sejam tomadas, é necessário que a atual gestão ofereça subsídios tributários, e físicos para que haja interesse dos grandes empresários em montarem indústrias por aqui, pois a cidade é promissora, acolhedora e possui mão de obra qualificada para qualquer atividade produtiva.

Autora: Lucineia

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Nosso resultado na Urca!!!!

Que alegria!!!!!É só alegria!!!!
Tivemos 12 aprovados no vestibular da Urca.Valeu o esforço de todos.Professores, alunos, coordenação e funcionários.Valeu o esforço. Eis a relação dos nossos campeões:
Taynara, Rosane, Álisson, Hélio, Cícero Roberto, Marcos, Edna , Diane Kelly, Cícera Aline, Amanda, João da Silva e Damiana.




Sucesso!!!!!
Luciane.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Exemplos de crônicas

A luta e a lição

Autor: Carlos Heitor Cony. Publicado na Folha Online

Um brasileiro de 38 anos, Vítor Negrete, morreu no Tibete após escalar pela segunda vez o ponto culminante do planeta, o monte Everest. Da primeira, usou o reforço de um cilindro de oxigênio para suportar a altura. Na segunda (e última), dispensou o cilindro, devido ao seu estado geral, que era considerado ótimo.

As façanhas dele me emocionaram, a bem sucedida e a malograda. Aqui do meu canto, temendo e tremendo toda a vez que viajo no bondinho do Pão de Açúcar, fico meditando sobre os motivos que levam alguns heróis a se superarem. Vitor já havia vencido o cume mais alto do mundo. Quis provar mais, fazendo a escalada sem a ajuda do oxigênio suplementar. O que leva um ser humano bem sucedido a vencer desafios assim?

Ora, dirão os entendidos, é assim que caminha a humanidade. Se cada um repetisse meu exemplo, ficando solidamente instalado no chão, sem tentar a aventura, ainda estaríamos nas cavernas, lascando o fogo com pedras, comendo animais crus e puxando nossas mulheres pelos cabelos, como os trogloditas –se é que os trogloditas faziam isso. Somos o que somos hoje devido a heróis que trocam a vida pelo risco. Bem verdade que escalar montanhas, em si, não traz nada de prático ao resto da humanidade que prefere ficar na cômoda planície da segurança.

Mas o que há de louvável (e lamentável) na aventura de Vítor Negrete é a aspiração de ir mais longe, de superar marcas, de ir mais alto, desafiando os riscos. Não sei até que ponto ele foi temerário ao recusar o oxigênio suplementar. Mas seu exemplo –e seu sacrifício- é uma lição de luta, mesmo sendo uma luta perdida.
…………………………….

Homem que é homem

de Luís Fernando Veríssimo.


Homem que é Homem não usa camiseta sem manga, a não ser para jogar basquete. Homem que é Homem não gosta de canapés, de cebolinhas em conserva ou de qualquer outra coisa que leve menos de 30 segundos para mastigar e engolir. Homem que é Homem não come suflê. Homem que é Homem — de agora em diante chamado HQEH — não deixa sua mulher mostrar a bunda para ninguém, nem em baile de carnaval. HQEH não mostra a sua bunda para ninguém. Só no vestiário, para outros homens, e assim mesmo, se olhar por mais de 30 segundos, dá briga.

HQEH só vai ao cinema ver filme do Franco Zeffirelli quando a mulher insiste muito, e passa todo o tempo tentando ver as horas no escuro. HQEH não gosta de musical, filme com a Jill Clayburgh ou do Ingmar Bergman. Prefere filmes com o Lee Marvin e Charles Bronson. Diz que ator mesmo era o Spencer Tracy, e que dos novos, tirando o Clint Eastwood, é tudo veado.

HQEH não vai mais a teatro porque também não gosta que mostrem a bunda à sua mulher. Se você quer um HQEH no momento mais baixo de sua vida, precisa vê-lo no balé. Na saída ele diz que até o porteiro é veado e que se enxergar mais alguém de malha justa, mata.

E o HQEH tem razão. Confesse, você está com ele. Você não quer que pensem que você é um primitivo, um retrógrado e um machista, mas lá no fundo você torce pelo HQEH. Claro, não concorda com tudo o que ele diz. Quando ele conta tudo o que vai fazer com a Feiticeira no dia em que a pegar, você sacode a cabeça e reflete sobre o componente de misoginia patológica inerente à jactância sexual do homem latino. Depois começa a pensar no que faria com a Feiticeira se a pegasse. Existe um HQEH dentro de cada brasileiro, sepultado sob camadas de civilização, de falsa sofisticação, de propaganda feminina e de acomodação. Sim, de acomodação. Quantas vezes, atirado na frente de um aparelho de TV vendo a novela das 8 — uma história invariavelmente de humilhação, renúncia e superação femininas — você não se perguntou o que estava fazendo que não dava um salto, vencia a resistência da família a pontapés e procurava uma reprise do Manix em outro canal? HQEH só vê futebol na TV. Bebendo cerveja. E nada de cebolinhas em conserva! HQEH arrota e não pede desculpas...
Gostou? Procure ler o final da crônica.
Procure o final da crônica.

Luciane.

Crônica-



AS CARACTERÍSTICAS DA CRÔNICA

As características abaixo foram citadas por vários autores que tentaram entender a crônica enquanto estilo literário:
# Ligada à vida cotidiana;
# Narrativa informal, familiar, intimista;
# Uso da oralidade na escrita: linguagem coloquial;
# Sensibilidade no contato com a realidade;
# Síntese;
# Uso do fato como meio ou pretexto para o artista exercer seu estilo e criatividade;
# Dose de lirismo;
# Natureza ensaística;
# Leveza;
# Diz coisas sérias por meio de uma aparente conversa fiada;
# Uso do humor;
# Brevidade;
# É um fato moderno: está sujeita à rápida transformação e à fugacidade da vida moderna.


Feito por :Valéria de Oliveira Alves

Luciane.

Mais fotos da aula Baú de Histórias





href="http://1.bp.blogspot.com/-JNFf-nw8llI/TzQD6cnFBDI/AAAAAAAAAbM/KmtXQyZlwlA/s1600/SAM_3587.JPG">




Momento de escolha e leitura dos livros.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Estamos de volta!!!!


A turminha do litviva está de volta para dar continuidade as ações do projeto.
O Baú de Histórias apareceu logo na primeira aula, levando os alunos a buscarem o conhecimento através da leitura diversificada.Veja os nossos momentos.